segunda-feira, março 08, 2010

3 meses

Tenho me sentido perdida no tempo. Como de costume classifico meus anos diante de acontecimentos significativos, mas os últimos meses tem sido de tantas novidades que estou perdida, como se estivesse em 2020. Eu até diria que seria como voltar ao tempo, aquele que era mais nova e me sentia mais viva, é isso eu me sinto mais viva e viajante do tempo, mais nova só que no futuro. Doidera! Não tente entender.

Eu poderia dizer que não lembro como cheguei no meu antigo peso, mas eu lembro de cada detalhe, uma ansiedade sem tamanho, uma tristeza irracional e quase incondicional, obviamente um monte de problemas hormonais auxiliaram, mas o espírito de toda a coisa era a depressão e tentar remediar com deliciosas doses de calorias. Comer nessas situações é maravilhoso, preenche de todas as formas, mas o efeito é mais rápido que se possa imaginar e a história se repetia, principalmente depois das 19h, um ciclo viciante e automático.

Nunca fui de comer muito na rua, meu problema todo era em casa. Depois que passei a viver só a coisa só piorou, preguiça dos saudáveis, preguiça da cozinha. Tão prático pedir um lanchinho, foi ai o arremate perfeito.

Muitas histórias no meio do caminho, alguns abandonos, algumas desistências, até enfim tomar coragem e encarar a situação. Sim, encarar e aceitar a obesidade, porque até então eu disfarçava tudo com um “tudo bem” bem fake.

Claro que existem muitas alternativas, muitos tratamentos, mas pra mim a cirurgia era inevitável, me conheço o suficiente para saber que senão tivesse essa opção eu ainda estaria da mesma maneira. Estudei, pesquisei, aprendi muita coisa antes mesmo de escolher um cirurgião. Fiz o dever de casa e até hoje não acho que cometi um absurdo, um risco ou alguma irresponsabilidade com meu corpo.

Hoje são exatos 3 meses e até aqui está tudo bem, só que agora é de verdade. São 20kg a menos que me deixaram mais confiante em coisas complexas e simples. Hoje não ando de cabeça baixa e isso faz toda a diferença.

De fato ainda não estou magra, semana passada me deram um folheto na rua para tamanhos maiores. Ontem mesmo fui em um bazar e uma senhora me chamou literalmente de gorda. Não estou magra, mas hoje isso é o que menos me preocupa. Já recuperei tantas pequenas coisas que ser simplesmente gorda não me incomoda, ser simplesmente fora do padrão não me importa.

Óbvio que quero ficar bonita, na maioria dos casos quem opera e só fala em saúde é hipócrita. Mas depois que a gente cresce dá pra entender como a saúde e bem estar reflete na nossa imagem.

Sinto que uma parte da minha meta foi concluída, aquela de recuperar o animo para correr atrás do que eu quero e consequentemente me sentir melhor e mais bonita.

É um novo ciclo viciante e automático.

Sei que estou no começo, sei que ainda há muito por vir, trocar alguns problemas de saúde por muita disciplina, do contrário novos problemas podem surgir. Mas o que importa é esse recomeço, essa ansiedade profunda de dar tudo certo.

Tenho uma história recente.
Essa semana fiz uma viagem rápida e nela usei uma mochila bem pesada com exatos 18kg, a mochila me incomodava de um tanto. Quando eu tirava das costas e andava sem ela por alguns segundo eu sentia um alívio tão grande, minhas pernas ficavam mais ágeis, minha coluna parava de doer, até meu humor melhorava e minha cara cheia de rugas pelo esforço ficava melhor. Quando me toquei percebi que aquela mochila ainda era um pouco mais leve do que aquele peso que carregava sem opção de descanso.

Por alguns minutos me senti envergonhada, por outros tantos minutos me senti aliviada...

Em números até aqui são:

- 3 meses de cirurgia
- 20.8 kg a menos
- Faltam 17.2kg para meta do ciurgião
- Número da calça saiu de 52 para 44 (quase 42)
- Salto alto saiu de 38 para 35

3 comentários:

Clau disse...

Parabéns pelos 3 meses de ciru, e pelos kgs eliminados... nós merecemos todos esses benefícios..
tá faltando as fotinhas, né??
bjsss

Anônimo disse...

Será que vc poderia postar seu cardápio? Emagreer 20 kg é o que muita mulher precisa, mesmo sem fazer a cirurgia bariátrica, e quem sabe a gente pode seguir seu cardápio... muito obrigada.
Neusa Maria

Larita disse...

Nossa, que caminhada! Olha, gostei muito desse seu post, pois fala de detalhes que vão além dos quilos perdidos e do tamanho da calça... Realmente a cirurgia dá uma mudada geral na vida da gente...
Parabéns pelo esforço e pelos resultados. Voce merece colher todos os benefícios!
bjs